domingo, 24 de agosto de 2014

Fim de semana activo

O fim de semana de 15 de Agosto foi passado na Covilhã porque era o aniversario da mãe do Xico e tínhamos mesmo de lá ir.

Saímos de Lisboa na 5ª feira ao final do dia e na 6ª feira fizemos um piquenique na Floresta que é um parque de merendas que existe na estrada da Covilhã para as Penhas da Saúde. Adoro piqueniques e a tranquilidade que isso me traz e por isso aproveitei para relaxar.


Depois de almoço fizemos uma caminhada até ao Bairro da Biquinha para beber uma biquinha :) Foi um passeio curto de cerca de 3 Km mas foi bom para esticar as pernas.

No dia seguinte já estava planeado um treino de apresentação a um troço do OMD 72Km. Resolvemos fazer o caminho que liga o Vale do Rossim a Nave da Mestra.

O percurso iniciou-se junto a Esplanada do Vale do Rossim (a uma altitude de 1437m) onde uma série de veraneantes a banhos nas aguas da barragem olhavam para nós de lado como se fossemos malucos.

O Xico conhecia mais ou menos o trilho mas no sentido inverso porque o fez em Junho no Oh Meu Deus por isso lá seguimos sempre junto a margem da barragem até chegarmos ao inicio do trilho.

Passamos por sítios onde a vista era incrível. Para além disso o silencio absoluto que existe nos meio destes pedregulhos dá uma sensação de vazio. Nem sei bem explicar mas é espectacular, só se ouve o nosso respirar.

Pelo caminho passamos pelo Vale das Éguas e pela Fraga da Penha, uma pirâmide negra de granito.

Fraga da Penha

Continuamos pelo trilho e sempre seguindo as mariolas, que são uma sobreposição de pedrinhas, em forma de pirâmide, construídas pelos pastores com o intuito de sinalizarem os trilhos. O que é certo é que o Xico dizia que achava que não seria para ali. Estávamos a subir uma pedra e quem é que sai do meio do nada? O André Castro, vencedor do Oh Meu Deus 100 milhas 2014. De inicio não o reconheci só depois em conversa com o Xico é que chegamos a conclusão que era mesmo ele. Perguntamos se a Nave da Mestra era para aquele lado ao que ele respondeu prontamente que não tinha passado por nenhum sitio com essas características. Ele vinha com um pau na mão e aconselhou-nos a pegar num também porque haviam muitos cães perigosos por ali e mais valia andarmos prevenidos. Assim que vimos um pau pegamos nele e seguimos mas felizmente não nos cruzarmos com nenhum cão.

Mariola

Vimos um casal de caminheiros pelos quais já tínhamos passado antes e perguntamos se eles sabiam para que sitio era a Nave da Mestra e eles como caminheiros experientes que eram tinham um mapa e logo nos disseram que faltava apenas mais 1,5 Km. Já me estava a sentir com alguma fraqueza e não tínhamos nada para comer mas pensei que ja faltava tão pouco que não valia a pena voltar para trás agora. 

Seguimos até bem perto do marco geodésico que se encontra no Curral dos Martins a 1.721 m de altitude e logo a seguir demos com o tão esperado sitio.

A Nave da Mestra é um daqueles locais incontornáveis da Serra da Estrela, localizada a 1.650 m de altitude em pleno planalto serrano. Também conhecida como Vale da Barca, é um local fantástico da Serra da Estrela. É um covão onde existe um imponente penedo de granito com a forma que lhe dá o nome.

O acesso e este local é efectuado através de uma fenda onde mochilas grandes poderão ter dificuldades em passar, tal como os menos destemidos...
Talisca



Vista da Nave da Mestra


Casa do Juiz

Chegamos então ao telhado da Casa do Juiz. Reza a história que o Dr. Juiz Matos, mandou construir ali a sua casa de férias de Verão em 1910. A sua construção foi concretizada pela mão-de-obra vinda de Manteigas em cima de mulas por um caminho que ainda hoje existe, ajudada por macacos hidráulicos utilizados para levantar as gigantes pedras, incluindo aquela que faz de telhado à casa. Esta obra é comprovada pela inscrição que ainda se pode ler na construção principal por cima da porta, “Dr. J.Matos – Barca Hirminius – 1910”.

Depois de chegarmos ao destino é tempo de fazer o percurso de volta até ao Vale do Rossim. Estava mesmo a sentir-me fraca e com uma fome de tal forma que já tinha o estômago colado as costas. Aqui estou eu já a chegar ao tão esperado café onde comi uma sopa que me soube pela vida.


Foram cerca de 17 Km com muito calor. 

Foi apenas a apresentação a uma parte do percurso do OMD 72K que, caso tudo corra como o esperado, espero fazer para o ano em Junho.

Para Setembro já estou a planear outro troço do percurso. Depois conto como foi.

8 comentários:

  1. Paisagens magnificas, ainda bem que gostaste ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei e espero regressar em breve para explorar mais a linda Serra da Estrela :)

      Eliminar
  2. Mulher de coragem, pensas fazer 72 km!

    Beijinhos e força! Corre atrás do sonho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim se tudo correr bem é esse um dos objectivos para 2015.

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Paisagens lindas! Infelizmente nunca tive a oportunidade de correr na Serra da Estrela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Silvio
      Tens de experimentar. Eu a uns anos atrás também não conhecia mas depois de começar a explorar esta zona fiquei fã e não há paisagem mais bonita que a imensidão da serra.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. OMD! Os 72? :)

    Belo treino e lindo!

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simmm!! Esse mesmo :) Esta zona é linda!

      Beijinhos

      Eliminar